9 de dezembro de 2018

PARA QUE SERVE O RIVOTRIL (CLONAZEPAM)



Saiba mais sobre o Rivotril® (clonazepam), uma das medicações mais prescritas em todo o Brasil, e seus efeitos e indicações.
Saúde da Mente


AVISO LEGAL:
As informações contidas nos vídeos não pretendem substituir a consulta ao profissional médico ou servir como recomendação para qualquer plano de tratamento.
De acordo com o Código de Ética Médica, os vídeos têm somente caráter educativo, assim como, não são divulgados endereços e telefone de consultório, clínica ou serviço de saúde.

Os vídeos do Canal Saúde da Mente, são produzidos baseados na experiência do Dr. Marco Abud, na observação prática de pacientes e em pesquisas científicas mais recente até o momento.
Em caso de dúvidas procure seu médico.

PRÓSTATA: INFORMAÇÕES UTEIS

19 de novembro de 2018

SOLUÇÕES EMERGENCIAIS PARA A CRISE NO MAIS MÉDICOS


Com a criação do Mais Médicos, o governo brasileiro transferiu de forma temerária para Cuba parte da responsabilidade pelo atendimento na atenção básica de saúde. Isso deixou o Brasil submisso aos humores do governo de outro país. Os impactos negativos previstos são os que estamos comprovando agora.
.
Diante da crise desencadeada pela retaliação do governo cubano ao povo brasileiro, ao anunciar nesta quarta-feira, 14/11, a retirada de seus intercambistas dos quadros do Programa Mais Médicos, a Associação Médica Brasileira (AMB) apresenta as seguintes sugestões de ações emergenciais:
.
1) Reformular e reforçar o PAB (Piso de Atenção Básica): além de aumentar o valor a ser repassado pela União referente à atenção básica, para que os municípios consigam contratar médicos na própria região, a forma de cálculo também precisa mudar, garantindo mais recursos para os municípios menores.
.
2) Reforçar o atendimento em áreas indígenas e de difícil acesso: aumentar o investimento nas Forças Armadas para aproveitar a sua experiência tanto em áreas de difícil acesso quanto em áreas indígenas, levando não somente médicos para esses locais, mas toda a infraestrutura necessária para a saúde: transporte de medicamentos, deslocamento de profissionais, hospitais de campanha, helicópteros e barcos para remoção em locais de difícil acesso. Para isso, usaria o efetivo atual de médicos das Forças Armadas, incrementaria o efetivo por concurso e selecionaria também novos Médicos Oficiais Voluntários para atuarem de forma temporária.
.
3) Incentivar a adesão de médicos jovens ao programa: promover mudanças no edital do Programa Mais Médicos que será lançado em breve, conforme anunciado, criando subsídios e incentivos aos jovens médicos com dívida no Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). Durante o período em que os médicos atuarem no programa, as parcelas do financiamento ficam suspensas. Além disso, haverá o benefício de descontos no montante geral da dívida, de acordo com o tempo de permanência e o município ou região escolhido (quanto menor o município ou de mais difícil provimento, maiores os descontos). Também é preciso garantir as mesmas condições ofertadas aos cubanos hoje: moradia, alimentação e transporte.
.
Desde 2013, a Associação Médica Brasileira (AMB) vem alertando que o Programa Mais Médicos tinha propósitos meramente eleitoreiros e que partia de uma premissa equivocada: a de que não havia médicos em número suficiente no Brasil. O que não existe de fato são políticas públicas que atraiam e fixem esses médicos nos municípios, especialmente nos menores e nos mais distantes dos grandes centros. O governo brasileiro acabou lançando mão de importação de mão de obra, trazida numa condição análoga à escravidão: obrigada a abrir mão de mais de 70% do que o Brasil desembolsava e alocada independentemente das condições de trabalho existentes, sujeita a atender pacientes sem os mínimos padrões de segurança.
.
Está claro também que o Mais Médicos não é um programa de assistência à saúde, mas de financiamento. Tanto da ditadura cubana (o que é péssimo) quanto dos municípios que aderiram ao programa (o que é ótimo, dada a escassez de recursos em muitas prefeituras para este fim).
.
Resolver a questão da oferta de médicos em locais de difícil provimento ou de difícil acesso não é viável com ações paliativas. A solução definitiva passa pela criação de uma Carreira Médica de Estado que valorize o médico brasileiro e que dê a ele perspectivas seguras e condições de planejar sua vida num horizonte de longo prazo.
.
Sabemos que não faltam médicos no Brasil. Hoje, somos 458.624 médicos. Um número suficiente para atender às demandas da população. Essa crise será resolvida com os médicos brasileiros.
.
A AMB se coloca à disposição para ajudar o governo federal e garantir que a população não fique desassistida. Não vamos aceitar esta sabotagem com o povo brasileiro.
.
Faremos a nossa parte.
.
Associação Médica Brasileira



18 de novembro de 2018

I Encontro realizado em João Pessoa PB foi encerrado com este momento lindo



O I Encontro realizado em João Pessoa PB foi encerrado com este momento lindo ...ao som da Ave Maria na praia do Jacaré e as lágrimas de nossa amiga Gerda resume o que este evento....
Gratidão a Deus por ter nos proporcionado tudo isto ...
Silvana

I Encontro Nacional Sobreviventes da Polio-SPP na Paraíba- João Pessoa.



Encontro idealizado pelo grupo Watshapp e facebook Sobreviventes da Polio e realizado em João Pessoa PB de 15 a 18/11/2018

SOBREVIVENTES DA PÓLIO- SPP


I Encontro Nacional de Sobreviventes da Polio-SPP na Paraíba-





João Pessoa Paraíba 15 a 18/11/2018 Evento criado pelo grupo Sobreviventes da Polio (wathsapp /facebook)





17 de novembro de 2018

NÓS NÃO DEVEMOS DESISTIR DA NOSSA SAÚDE.

Foto mostrando o 
inicio da deformação do membro
inferior sequelado pela pólio.
Inicio dos anos 60.
Eu tive pólio com 15 meses de vida, a sequela visível ficou na perna direita, todos os outros membros ficaram saudáveis até os 50 anos de idade. A perna esquerda antes sadia começou a apresentar acentuada fraqueza muscular e dores nas articulações. Depois de alguns exames como RX e Ressonância Magnética foram diagnosticados desgastes no local do joelho chamado pata do ganço e na cabeça de fêmur no quadril, definindo os problemas ortopédicos nas duas pernas com desgastes nas articulações resolvi pedir outro exame.
No dia 07/11/2018 fiz eletroneuromiografia da perna sadia(esquerda) no AME DE RIO PRETO, o profissional que fazia o exame me perguntou se eu tinha certeza que também nessa perna não havia sido atingida pela pólio? Eu afirmei que NÃO, pois a sequela atingiu apenas a perna direita...
Segundo ele há muitas alterações nessa perna(Esquerda). Eu perguntei a ele: NÃO SERIA SÍNDROME PÓS POLIO?
E ele respondeu: é difícil afirmar, mas poderia ser sim por causa das alterações bastante alterada que mostrava no exame.
.
Por um lado eu fiquei feliz, pois o exame de eletroneuromiografia confirmava minhas suspeitas por causa da fraqueza muscular e dores que sinto nessa perna, me levando a tombos sem aviso de que poderia ser portador da SPP, tombos esses que me obrigaram a fazer uso de uma bengala.
Estou cansado de procurar médicos e me recomendarem fisioterapias que no caso da Síndrome Pós Pólio é nocivo e peritos do INSS negarem o caso da SÍNDROME. Uma angustia sem fim...
.
Por outro lado fiquei triste, porque tive que iniciar por conta própria o diagnóstico já com atraso para a recuperação caso confirme a SÍNDROME PÓS POLIO e correr o risco de ir para uma cadeira de rodas, pois ficaria com as duas pernas comprometidas.
Dessa forma meus POLIO-AMIGOS, meu conselho é esse: peça a seu médico, todos os exames desde Ressonância Magnética, RX e eletroneuromiografia etc, porque nós não podemos desistir da NOSSA SAÚDE.


23 de outubro de 2018

Mara Gabrilli pede informações ao Ministério da Saúde sobre síndrome pós-poliomielite: O que o SUS tem feito para os pacientes da síndrome pós poliomielite?

A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoas com Deficiência (CPD) aprovou um requerimento de minha autoria que solicita informações ao Ministério da Saúde sobre a atenção oferecida pelo SUS às pessoas vítimas da síndrome pós-poliomielite (SPP).

A SPP acomete pessoas que apresentaram poliomielite, mesmo sem manifestações clínicas, e que, depois de anos, desenvolvem novos sinais e sintomas. Caracteriza-se principalmente por fraqueza muscular, artralgia, mialgia, distúrbios do sono e respiratórios, intolerância ao frio e alterações emocionais, dentre outros. O quadro decorre da morte de neurônios acessórios que, após a infecção, vinham compensando a ausência daqueles inicialmente afetados.

Descrição da imagem #PraCegoVer: Foto de Mara na Comissão falando ao microfone.

                          Fonte: https://www.facebook.com/maragabrilli/


15 de agosto de 2018

DIABETES

Sou diabético e trabalho num Posto de Saúde e vejo que existe muita desinformação sobre a doença e como controla-la.
.
A maioria dos pacientes são totalmente ignorante sobre o uso dos alimentos que podem ajudar no controle ou aumentar a sua glicemia e a forma correta de fazer as medições diárias pós-prandial com um aparelho de nome Glicosímetro que é fornecido pelo SUS. 
.
Caso o paciente faz uso de INSULINA o uso desse aparelho deve ser rigorosamente orientado pelo seu médico ou um profissional da saúde especializado, para que não haja valores distorcidos da sua diabetes(Glicemia).




SBD - Sociedade Brasileira de Diabetes

Apresentado por Leda Nagle, o programa Quero Mais Saúde aborda o tema #Diabetes

Dra. Solange Travassos (mestre e doutora em endocrinologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro) esclarece dúvidas como
👉 Como gerenciar o diabetes?
👉 Além da dieta, quais fatores influenciam na glicemia?
👉 Qual o papel da insulina no corpo humano?


DIABETES: Campanha sobreviver


Se o vídeo não abrir o som, CLIQUE no alto-falante 

SBD - Sociedade Brasileira de Diabetes
Há 4 anos, Nicette Bruno descobriu que tem diabetes tipo 2. Ela e sua filha, Beth Goulart, querem dividir com vocês uma mensagem de carinho: cuidar do coração dos idosos com diabetes é uma questão de sobrevivência. http://movimentoparasobreviver.com.br/
#ParaSobreviver


9 de agosto de 2018

5 de agosto de 2018

ESTELA MENDES -Depoimento


               Se o vídeo estiver sem som, clique no alto falante. 


Meu depoimento para que haja mais conscientização da vacinação contra a poliomielite e tantas outras doenças.
(Estela Mendes)

DIABETES: 80% DAS MORTES DE PESSOAS COM DIABETES SÃO CAUSADAS POR PROBLEMAS CARDIOVASCULARES

SBD - Sociedade Brasileira de Diabetes

O diabetes pode interferir diretamente na saúde do coração das pessoas com diabetes tipo 2. 
Cuidar do coração desses pacientes não é apenas uma questão de saúde, é uma questão de sobrevivência! 

Se ligue nessa causa
http://movimentoparasobreviver.com.br/

#CuidardoCoração


#ParaSobreviver

#Diabetes

ALECRIM: anti-inflamatório| antidepressivo| digestão| fígado e vesícula



Hoje em nosso canal uma planta muito importante e conhecida que pode ser um grande auxiliar em nosso dia-a-dia, o Alecrim!! Esta planta já muito utilizada na culinária, tem grande utilidade como digestivo, contra gases intestinais, protegendo o fígado e estimulando a vesícula biliar. Ainda, o Alecrim é um considerável anti-inflamatório intestinal e da bexiga, combatendo cistites, colites, enterocolites e hemorroidas inflamadas. O alecrim também tem uma interessante ação analgésica, combatendo dores de cabeça rotineiras. Além disso, sua ação antidepressiva já foi comprovada, sendo chamado como "planta da felicidade"!! Ele também é um excelente tônico que estimula as funções dos nossos órgãos, como estomago, fígado, baço e pâncreas. O Alecrim também é um ótimo antimicrobiano e cicatrizante, podendo auxiliar na limpeza de feridas, contribuindo para sua cicatrização.
Por fim, o Alecrim é considerado um estimulante do couro cabeludo, evitando a queda de cabelos e estimulando seu crescimento.

Fonte canal Youtube---------->
Autor da Própria Saúde


12 de julho de 2018

Carlos Giannazi apresenta na TV Alesp debate sobre Pós-Pólio no SUS



Giannazi apresenta na TV Alesp( Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo) debate sobre Pós-Pólio no SUS.
Debate sobre os Centros de Diagnósticos e Assistência sobre a Síndrome Pós Pólio.

Debatendo o Neurologista da UNIFESP 
Dr. Acary Souza Bulle Oliveira
Andrea Silva presidente da Associação G-14
Deputado Carlos Giannazi

PL 660/2014


Projeto de Lei 660/2014   Esse projeto foi vetado pelo ex Governador Geraldo Alckmin e agora a nossa luta é para derrubar esse veto.

11 de julho de 2018

10 de julho de 2018

5 de julho de 2018

BANNER: VOCÊ CONHECE ALGUÉM QUE TEVE POLIOMIELITE?



Eu tive pólio e narro abaixo um pequena parte dos problemas que enfrento no dia a dia.
"Um dos problemas que enfrento é conviver com ar-condicionado no local de trabalho, sou um incomodo para os colegas que obviamente sentem mais calor do que eu. 
.
O frio do ar-condicionado afeta minha saúde, especialmente no inverno, o frio que sinto é superior as pessoas sadias, e isso causa dores musculares, dores de cabeça, resfriados constantes, portanto sou obrigado a sempre usar medicamentos para aliviar os sintomas, um agasalho para me aquecer e ouvir piadinhas e comentários como: Você está doente? Se vier o frio que você está esperando vamos morrer congelados?
É muito difícil uma situação como essa, mesmo não sendo confirmado como portador da Síndrome Pós Pólio, convivo com seus sintomas, com os problemas e as limitações da deficiência física. 
Uma doença rara e desconhecida pela da grande maioria das pessoas, inclusive a classe médica desinteressada no desenrolar da ciência, não fazem uma leitura obrigatória das publicações cientificas e artigos sobre as novas enfermidades que surgem no mundo. CID G-14"

Rivaldo R. Ribeiro



23 de junho de 2018

Nova classificação internacional de doenças CID-11:

1G83 Seqüelas de poliomielite:
Descrição: Sequelas de poliomielite se referem aos resíduos da poliomielite aguda, assim como outros distúrbios que têm uma ligação etiológica com a infecção aguda da pólio ou com déficits crônicos da infecção aguda. Os distúrbios que podem se manifestar tardiamente na vida dos sobreviventes da poliomielite incluem artrite degenerativa avançada precoce, distúrbios do sono, insuficiência respiratória e uma variedade de distúrbios mentais.

8B62 Atrofia Muscular Progressiva Pós-Pólio:
Descrição:
Os critérios diagnósticos para a atrofia muscular progressiva pós-pólio (PPMA) são: uma história confiável de poliomielite com recuperação parcial da função, um período mínimo de estabilização de 10 anos e o subsequente desenvolvimento de fraqueza muscular progressiva. Sintomas de fraqueza, atrofia e fadiga dos músculos previamente afetados podem ser observados. Esses sintomas também podem ser notados recentemente em músculos que aparentemente não foram afetados pelo episódio de poliomielite. Cãibras e fasciculações musculares podem acompanhar a nova fraqueza.

Inclusões: Síndrome Mielítica Pós-Poliomielite.

http://www.sppolio.inf.br/index.php/cid-11-8b62-cid_10_g14/


12 de junho de 2018

JUNINÃO 2018: Prefeitura de José Bonifácio cede espaço do Recinto de Exposições "JOÃO ORSI" para Santa Casa.




Fotos Santa Casa de José Bonifácio- (Rivaldo R. Ribeiro)


"Vai ser uma festa linda, especialmente pela atitude do Prefeito Dilmo e sua equipe de ceder para a NOSSA SANTA CASA o espaço público do Recinto de Exposições no sentido de ajudar financeiramente aquela entidade"

DECRETO nº. 2917/2018.
.
DISPÕE SOBRE PERMISSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA EXPLORAÇÃO DE PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO DE BEBIDAS E SIMILARES, CAMAROTES, ESTACIONAMENTO E ORGANIZAÇÃO DE RODEIO NO RECINTO DE EXPOSIÇÕES “JOÃO ORSI” DURANTE AS FESTIVIDADES DOS 112 ANOS DO MUNICÍPIO - JUNINÃO 2018 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

11 de junho de 2018

Palestra Funcionalidade e Tecnologia Assistiva:-Síndrome Pós Pólio



II Encontro Internacional Sobreviventes da Poliomielite. Realizado em Outubro de 2017 - São Paulo - Brasil.

Palestra Funcionalidade e Tecnologia Assistiva - Esp. Aline Simão Helou. Quer mais informação sobre Síndrome Pós Pólio? Conheça o Instituto Giorgio Nicoli

https://www.facebook.com/institutogiorgionicoli 

10 de junho de 2018

9 de junho de 2018

A VACINA QUE MUDOU O MUNDO - Documentário (2010)...este programa conta a história do doutor Jonas Salk, que junto com uma comunidade médica e uma nação, conseguiu vencer a pólio, a doença mais temida do século XX.



(ripper Web-Man) A História da Vacina Contra Pólio (poliomielite) -

Todos os anos no verão, uma misteriosa doença perseguia e aterrorizava as crianças. Os pais já não levavam os seus filhos ao cinema ou à piscina, com medo de contraírem uma infeção mortal que costumava provocar paralisia e, em muitos casos, deixava as suas vítimas dependentes de ventiladores artificiais. 
Franklin D. Roosevelt, admirado presidente dos Estados Unidos que sofria de poliomielite, pediu à população para que colaborasse com a investigação da doença. Parte do dinheiro angariado foi parar a um cientista ambicioso de 33 anos que, a partir do seu laboratório instalado num sótão, mudou o rumo da história da medicina. 
Servindo-se de entrevistas e de reconhecidos cientistas, este programa conta a história do doutor Jonas Salk, que junto com uma comunidade médica e uma nação, conseguiu vencer a pólio, a doença mais temida do século XX.

Clique na foto para ampliar-------->

Pesquise sobre: Jonas Salk


"Uma das mais lindas história da ciência"









Poliomielite: de gota em gota essa doença fica para trás



Apresenta os sintomas e as sequelas da Poliomielite - doença provocada por três diferentes tipos de vírus, sendo mais comum em crianças e adolescentes e que se não tratada, pode levar uma pessoa à paralisia muscular. 
Fala da história de Albert Sabin, inventor da vacina contra a Poliomielite, além de mostrar a importância das campanhas nacionais de vacinação para a erradicação da doença.

1 de junho de 2018

Síndrome Pós Pólio - Palestra Ambulatório Especializado O que estamos aprendendo



II Encontro Internacional Sobreviventes da Poliomielite. Realizado em Outubro de 2017 - São Paulo - Brasil.
Palestra Ambulatório Especializado- O que estamos aprendendo - Dr. Abrahão A.J. Quadros - Unifesp. Quer mais informação sobre Síndrome Pós Pólio?

Conheça o Instituto Giorgio Nicoli  http://www.institutogiorgionicoli.org.br


DEPOIMENTO SOBRE A SÍNDROME PÓS PÓLIO DE VERA GOULART



Vera Goulart mora na cidade de Salto Grande - SP ... depois de muitos anos obteve seu diagnóstico na Unifesp SP ...quase 500 km de sua residência. Fez acompanhamento por 6 meses, 3 x por semana, há 70 km de sua cidade, depois de muita luta para conseguir transporte.

19 de maio de 2018

Vacuna Oral contra Poliomelitis ( Vacina Oral Contra Poliomielite)

Vídeos dos anos 2012 e 2013 que mostram o desespero e sofrimento dos pais quando seus filhos são contaminados pelo vírus da POLIOMIELITE.
.
Um alerta que esse maldito vírus ainda circula nos países Latinos Americanos, portanto as autoridades de Saúde e Médicas não podem descuidar de uma doença que prejudica toda a vida de suas vítimas. 



Una medicina que produce la enfermedad de la poliomelitis en niños es materia de alerta en el sistema de salud nacional. Aparentemente, la enfermedad también se habría vuelto más resistente y habría sido aplicada por el gobierno en algunos hospitales. Se exponen los casos de niños que, luego de dañados, no recibieron la ayuda prometida.

TRADUÇÃO
Um medicamento que produz a doença da poliomelite em crianças é uma questão de alerta no sistema nacional de saúde. Aparentemente, a doença também teria se tornado mais resistente e teria sido aplicada pelo governo em alguns hospitais. Os casos de crianças que, depois de sofrerem danos, não receberam a ajuda prometida, estão expostos.

informatisalud

'Agrotóxico é veneno. É sintetizado para pragas, mas pode matar humanos''


Por: Danielle Monteiro/ Agência Fiocruz de Notícias
O uso de agrotóxicos é atualmente um dos mais importantes fatores de risco para a saúde da população e o meio ambiente no Brasil. O país é atualmente o maior consumidor mundial desses produtos. De acordo com dados da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), apesar de o Brasil não ser o maior produtor agrícola do mundo, o crescimento nacional do consumo de agrotóxicos chegou a quase 200% entre 2000 e 2009. As empresas produtoras de agroquímicos no país duplicaram desde 2008 e, nos últimos anos, o crescimento da importação dessas substâncias foi de quase 400%. O consumo de agrotóxicos é resultado da adoção de um modelo de agricultura chamado agronegócio, que é dependente do uso de venenos. Para falar sobre o assunto, a Agência Fiocruz de Notícias entrevistou o pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), Luiz Claudio Meirelles.
.

5 de abril de 2018

Síndrome Pós Pólio- O que avançamos e o que precisamos avançar- Dra. Monica T. Conde



II Encontro Internacional Sobreviventes da Poliomielite. Realizado em Outubro de 2017 - São Paulo - Brasil. Palestra:O que avançamos e o que precisamos avançar.
Dra Monica T Conde. Quer mais informação sobre Síndrome Pós Pólio? Conheça o Instituto Giorgio Nicoli

http://www.institutogiorgionicoli.org.br/


2 de abril de 2018

QUAL A TEMPERATURA IDEAL PARA O AR CONDICIONADO?


Colegas que deveriam levar em conta a saúde pessoal dos outros membros da sala, muitas vezes egoisticamente não se importam com isso chegando ao cúmulo de colocar o aparelho de ar condicionado a temperatura muito baixas. Essa atitude além de levar o aumento do consumo de energia elétrica, causa incomodo e transtornos a pessoas alérgicas ou nas doenças dos neurônios motores entre elas as pessoas que tiveram poliomielite, pois são pessoas que apresentam sensibilidade ao frio, lhes causando enrijecimento muscular e dores pelo corpo.
.
"Segundo ANVISA Resolução N. 09, a temperatura ideal em ambientes fechados é entre 23°C e 26°C, valendo para qualquer época do ano.
Segundo o otorrinolaringologista Ricardo Landini Lutaif Dolci (SP), com o ar numa temperatura agradável evitamos variações drásticas de temperatura entre a rua e dentro de casa ou do escritório. “O choque térmico pode piorar quadros alérgicos”,
.
NR 17 - ERGONOMIA 
Segundo a NR17 do Ministério do Trabalho (norma regulamentadora para Ergonomia), determina que a temperatura do ambiente de trabalho como: laboratórios, escritórios, salas de desenvolvimento, análise de projetos, tenham a temperatura entre 20 a 23 graus, com umidade inferior a 40%.
.
17.5. Condições ambientais de trabalho. 
17.5.1. As condições ambientais de trabalho devem estar adequadas às características psicofisiológicas dos trabalhadores e à natureza do trabalho a ser executado.
17.5.2. Nos locais de trabalho onde são executadas atividades que exijam solicitação intelectual e atenção constantes, tais como: salas de controle, laboratórios, escritórios, salas de desenvolvimento ou análise de projetos, dentre outros, são recomendadas as seguintes condições de conforto:
a) níveis de ruído de acordo com o estabelecido na NBR 10152, norma brasileira registrada no INMETRO;
b) índice de temperatura efetiva entre 20oC (vinte) e 23oC (vinte e três graus centígrados);
c) velocidade do ar não superior a 0,75m/s;
d) umidade relativa do ar não inferior a 40 (quarenta) por cento.


http://www.guiatrabalhista.com.br/legislacao/nr/nr17_anexoII.htm

Conforto-termico-no-ambiente-de-trabalho


SÍNDROME PÓS PÓLIO - Silvia Helena (Depoimento)



Silvia Helena mora em Brasilia, atualmente passa com Ortopedista, ainda não conseguir Neurologista, médico especialista na doença.


1 de abril de 2018

Locais que dispõe de médicos Neurologistas aptos a atender doenças neuromusculares, inclusive SPP.

Existe uma dificuldade enorme em encontrar médicos que possam avaliar, diagnosticar e acompanhar pessoas sobreviventes da poliomielite e com suspeita ou diagnóstico de Síndrome Pós-Pólio. Diante deste problema, o Dr. Acary pediu à ABRELA: (Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica) que compartilhasse conosco a lista de Locais que dispõe de médicos Neurologistas aptos a atender doenças neuromusculares, inclusive SPP.

HSP/UNIFESP Setor de Investigação em Doenças Neuromusculares do Hospital São Paulo
Setor de Investigação em Doenças Neuromusculares do Hospital São Paulo
Rua Botucatu, 395/397 – Vila Clementino – São Paulo – SP – 04023-061
.
Hospital das Clínicas de São Paulo - Instituto Central
Av. Dr. Eneas de Carvalho Aguiar, 255 – 5º andar - 55 11 3069.6000 - São Paulo - SP
.
Centro de Referência para Doenças Neuromusculares da Secretaria de Estado de Saúde do DF integrado com o Centro de Doenças Raras
.
Atendimento de equipe multiprofissional para pessoas com Esclerose Lateral Amiotrófica e todas as doenças neuromusculares.
Hospital de Apoio de Brasília
SAIN quadra 04 sem número
Fones: 61-3905-4700 e 61-33430388
Médica Responsável: Dra. Mirian Moura
Neurologista e Neurofisiologista Clínica
.
Coordenadora da Neurologia
.
Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo
Disciplina de Neurologia – Setor de Doenças
Neuromusculares
Rua Cesário Motta Júnior, 112
Vila Buarque - São Paulo/SP
Telefone: 11 2176-7231
.
Hospital Celso Pierro PUC 2- Campinas – São Paulo - SP
Avenida John Boy Dunlop s/nº - Jardim Ipaussurama – campinas – São Paulo
Corredor amarelo dos Ambulatórios
Atendimento e agendamento de consultas: das 8:00 as 11:00 h
É necessário apresentar encaminhamento médico para agendamento
.
Hospital universitário Antonio Pedro - Niterói – Rio de janeiro
Rua Marques de paraná, nr. 303 centro
Cep 40.030-215
Fone (21) 2629-9000
Responsavel ; Dr. Marcos feritas.
Mais informações favor procurar direto o endereço acima ou pelo telefone
.
CENTRO DE REFERÊNCIA AOS PORTADORES DE DNM/ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA - Rio Grande do Norte
Agendamento: Ambulatório de Neurologia do Hospital Onofre Lopes – UFRN
Av. Nilo Peçanha, 620 – bairro: Petropólis – Natal – RN
Tel. (84) 3342-5129
Agendar atendimento - Glauciane Santana
Equipe:
Prof. Dr. Mário Emílio Teixeira Dourado Júnior - Neurologista – Coordenador do ambulatório
Prof. Ms Francisco de Assis Pinheiro – Enfermeiro
Glauciane Santana – Coordenação administrativa
Prof. Ms Guilherme Fregonezi – Coordenador fisioterapia
Thaise Lucena e Fernanda Gadelha - Fisioterapia respiratória
Maria Lúcia Dourado e Lúcia Leite – Nutrição
Rosângela Machado e Valéria Xavier – Fonoaudiologia
Christine Lucena e Glauciane Santana - Psicologia
Ambulatório de Neurologia do Hospital Onofre Lopes – UFRN
Av. Nilo Peçanha, 620 – bairro: Petropólis – Natal –RN
Tel. (84) 3202-3719 Ramal – 263 - (84) 9927-1841
Agendar atendimento - Glauciane Santana
.
Centro de Reabilitação - CRA
Endereço - Avenida Alexandrino de Alencar, 1900 – Tirol - Natal – RN
Tel: (84) 3232-6657 e 3232-6676
Para saber mais sobre o atendimento de Doença do Neurônio
Motor/ Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) no Estado do Rio
Grande do Norte - acesse: Blog - elahuol.spaces.live.com - e-mail - ela.huol@hotmail.com
.
Centro de Referência:
Hospital das Clínicas – Ribeirão Preto
Faculdade de Medicina – Campus Universitário
Setor de Neurofisiologia - 2º andar
Dr. Wilson Marques Jr.Agendamento pelo fone: 16 3602-2391
.
Hospital Universitário Oswaldo Cruz
Atendimento médico e de equipe multidisciplinar
Rua Arnóbio Marques, 310 – Santo Amaro – Recife – PE
Agendamento no Ambulatório Geral – Ambulatório de Doenças Neuromusculares
5ª. feira – das 8 – 12 horas - pessoalmente
.
FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA
AMBULATÓRIO DE ESPECIALIDADES “GOVERNADOR MÁRIO COVAS” – MARÍLIA - SP
Ambulatório de Especialidade “Governador Mário Covas” atende aos Municípios de Marília, Assis, Ourinhos, Tupã e Adamantina, bem como as micro regiões ao redor destas cidades.
O agendamento deverá ser feito diretamente através da UBS que atende o paciente.
Documentos necessários:
- Encaminhamento da UBS
- RG
- CPF
- Cartão SUS
Localização: Ambulatório de Especialidades “Governador Mário Covas”
Av. Tiradentes, 1310 Bairro Fragata C Marília – SP
Tel.: (14) 3402.1744 ramal 1689 / (14) 3402.1709
E-mail: dirmariocovas@famema.br
.
Universidade Federal do Ceará / Hospital Universitário Walter Cantídio
Rua Capitão Francisco Pedro, 1290
Rodolfo Teófilo – Fortaleza – Ceará
Cep: 60430-370
Telefone (85) 3366-8163 Neurologia
Dr Francisco de Assis Aquino Gondim
Agendamento só pessoalmente levar:
- encaminhamento médico
- cartão SUS
- RG
.
Centro de Atendimento de ELA - Londrina – PR
Ambulatório de Neurologia do Hospital de Clínicas da
Universidade Estadual de Londrina – UEL
Segunda - feira a partir das 13:00 hs
Local: Campus da Universidade
Fone: (43) 33715798
.
Hospital Universitário Onofre Lopes ( UFRN) Federal do Rio Grande do Norte.
Avenida Nilo Peçanha, nr. 620, Cep 59.012-300 . Natal /RGN
Fones: (84) 3202.3719 / 9927.1841
.
Hospital da Restauração
Avenida Agamenon Magalhães, s/nº - térreo, Recife – PE - Serviço de Neurologia - Fone: 55 81 3221.0690
Dia de atendimento às 2ªs. feiras, a partir das 9:30h
Médica Responsável: Dra. Lucia Brito
Desde 1997, o Serviço de Neurologia do Hospital Restauração (SENEU-HR),
presta assistência aos pacientes com esclerose lateral amiotrófica, como
Unidade de Referência do Estado. Conta com equipe composta por médico,
enfermeira e fonoaudióloga.
.
Centro de Atendimento de ELA – Salvador – BA
Av. Dom João VI, 275 – B.Brotas - 1º andar do Ambulatório Docente Assistencial
Agendamento pessoalmente das 15:00 hs. as 19:00 hs - 6ª feira no primeiro andar com Dra. Marcela Costa
Equipe de Atendimento:
Médica repsonsável – Dra. Marcela Machado Costa
Fisioterapeuta – Glaucia Silva
Fonoaudiólogas – Michele Deiró e Larissa Menezes
.
Hospital Universitário Antonio Pedro
Rua Marquês do Paraná, 303 Centro-Niterói-RJ
CEP 24030-215 FONE 021-26299000
Responsável: DR. MARCOS FREITAS
Para mais informações, favor procurar diretamente no endereço acima ou pelo telefone.
.
Instituto de Neurologia Deolindo Couto (UFRJ) . Universidade Federal do Rio de janeiro.
Avenida Venceslau Bras, nr 95 – Cep.: 22.290-140
Rio de janeiro – RJ
.
Atendimento para ELA em Juiz de Fora-MG
Hopital Universitário - Serviço de Neurologia - UFJF.
R. Catulo Breviglieri, s/n - Santa Catarina
Juiz de Fora - MG
Tel ( 032) 4009.5145
Médico Responsável: Dr. Marcelo Maroco Cruzeiro
.
Hospital Universitário Lauro Wanderley - UFPB.
Campus I, Av. Contôrno das Cidades, SN - Cidade universitária, João Pessoa - PB, 58051-900
Ambulatório de Neuromuscular – Dra. Isabella Mota
Agendamento pelo PSF – Setor de Regulação
.
Hospital Universitário Oswaldo Cruz
R. Arnóbio Marquês, 310 - Santo Amaro, Recife – PE
Ambulatório de Neurologia – Dra. Carolina Cunha
Agendamento no local

Fonte: 
.
https://www.facebook.com/groups/sobreviviapolio/         
Associação G-14 de apoio aos Pacientes de Poliomielite e Síndrome Pós-pólio

25 de março de 2018

DEPOIMENTOS SÍNDROME PÓS PÓLIO-REGINA BRITO



Regina Brito, assistente administrativo, mora em Ribeirão Preto. Regina teve seu pedido de auxilio doença negado. 
Perito a considerou apta ao trabalho expondo inclusive que em sua função não via nenhum problema em continuar.... 

Sim ...dores só é problema para quem as senti sr. Perito !!!

Vídeo do dia 26/03/2018


Fonte:
Síndrome Pós Pólio Póliomielite


15 de março de 2018

DEPOIMENTO: Sobreviventes Pós Pólio - Isabel Maria



Isabel mora em Valparaíso de Goiás, trabalhou como doméstica por anos, hoje sente muitas dores, cãibras, fraqueza nas pernas.
Anda com auxílio de duas bengalas canadenses, se cansa facilmente e cai bastante.
Não sabe se tem SPP pq os hospitais da cidade não oferece atendimento adequado.


DEPOIMENTO:Síndrome Pós Pólio - Gilma Aranha



Gilma Aranha, pedagoga e escritora, mora em Recife, felizmente teve e tem o apoio familiar, o que ajuda muito !!! 
.
Hoje, cadeirante em virtude da "nova doença" Síndrome Pós Pólio conta com o apoio dos filhos.

14 de março de 2018

DEPOIMENTOS: [PÓS PÓLIO] Como os sobreviventes da poliomielite encaram uma nova doença degenerativa



Doença degenerativa provocada pelo desgaste de neurônios ataca sobreviventes da poliomielite. Médicos e pacientes debatem tratamentos e preconceitos dessa nova condição, que ainda não é totalmente compreendida em vários setores da sociedade. Veja também tab.uol/pos-polio/ ---- Facebook - https://www.facebook.com/uoltab Instagram - https://www.instagram.com/uoltab Site - http://tab.uol.com.br/ Contato: tabuol@uol.com.br ---- Reportagem: Wellington Ramalhoso Imagens:Mariah Kay e Ugo Araujo Edição: Mariah Kay Arte: Solenn Robic


Síndrome Pós Pólio - O estado da Arte



II Encontro Internacional Sobreviventes da Poliomielite. Realizado em Outubro de 2017 - São Paulo - Brasil. Trecho da Palestra O estado da Arte - Dr Fernando G M Naylor Neurologista. O que se tem até agora sobre a Síndrome Pós Pólio. Quer mais informação sobre Síndrome Pós Pólio? Conheça o Instituto Giorgio Nicoli http://www.institutogiorgionicoli.org.br