26 de janeiro de 2017

PÉS E MÃOS GELADAS NA PÓS POLIO

Um conto de inverno para aquecer aqueles que odeiam o frio. sobreviventes da pólio são extremamente sensíveis a mudanças de temperatura. Em temperaturas meramente frescas, a maioria dos sobreviventes de pólio relatam que seus pés sempre foram frios ao toque, sua pele uma cor purpúrea. No entanto, como os sobreviventes da poliomielite envelheceram, 50% relatam intolerância ao frio e que seus membros se tornaram mais sensíveis à dor à medida que a temperatura diminui. Foi relatado que o frio causou fraqueza muscular em 62% dos sobreviventes da pólio, dor muscular em 60% e fadiga em 39%. (Bruno & Frick, 1987).
.
Quando os sobreviventes de pólio foram resfriados no laboratório de 86 ° F a 68 ° F, os nervos motores funcionaram como se estivessem a 50 ° F e os sobreviventes de poliomielite perderam 75% da força muscular da mão. (Bruno et al., 1985a) Mas, embora os sobreviventes da pólio sejam duas vezes mais sensíveis à dor do que aqueles sem pólio, nenhum aumento na sensibilidade à dor foi encontrado em temperaturas mais baixas. (Bruno, et al., 1985b)
.
A razão pela qual os sobreviventes da poliomielite têm problemas com o frio é que as partes do sistema nervoso central que devem controlar a temperatura corporal foram danificadas pelo poliovírus. No cérebro, o hipotálamo 
(o computador automático que controla o ambiente corporal interno) foi danificado pelo poliovírus, incluindo o termostato do corpo e a área do cérebro que diz a seus vasos sanguíneos que se contraem.(Bodian, 1949) 
Na medula espinhal, os nervos que carregam a mensagem do cérebro que diz os capilares na pele para contrair quando seu frio também foram mortos pelo poliovírus.(Bodian, 1949) 
Assim, os sobreviventes da poliomielite são incapazes de impedir que o sangue quente flua para a superfície da pele à medida que a temperatura exterior cai. Isso permite a perda de calor do sangue perto da superfície da pele e faz com que os membros para esfriar.
.
Quando os membros esfriam, as artérias que transportam sangue para a pele e as veias que devem levar o sangue para fora da pele estreita passivamente à medida que ficam frias, prendendo sangue venoso azul nos capilares e fazendo com que os pés fiquem azuis e fiquem ainda mais frios. A pele fria esfria os nervos motores, fazendo com que eles conduzam mais lentamente e sejam menos eficientes em fazer os músculos se contrair. O frio também calafrios tendões e ligamentos (como colocar uma fita de borracha no congelador) fazendo o movimento dos músculos fracos mais difícil. Como sabem os sobreviventes da pólio, leva horas sob um cobertor elétrico ou um longo banho quente para aquecer as pernas frias e recuperar a força.
No entanto, quando os sobreviventes de pólio vão tomar um banho quente, os vasos sanguíneos fazem exatamente o oposto do que fazem no frio. Polio pés e pernas tornam-se vermelho brilhante como artérias e veias relaxar e sangue corre para a pele. Então, quando os sobreviventes da poliomielite estão para sair da banheira, eles podem sentir tonturas ou até mesmo desmaiar como sangue em suas pernas faz com que sua pressão arterial caia (ver Bruno, 1996). A junção de sangue nos pés também explica por que os pés dos sobreviventes da pólio incham, inchaço que aumenta à medida que envelhecem. E os sobreviventes de pólio "facilmente perdem calor corporal, isso explica por que eles têm um aumento nos sintomas, especialmente a dor muscular induzida pelo frio, como as estações mudam.
Os sobreviventes de polio precisam se vestir como se fosse 20 ° F mais frio do que a temperatura externa. O truque é ficar quente do get-go. Você precisa se vestir em camadas e desgaste calcetadas de retenção de calor ou roupas feitas de uma fibra de tecido, respirável plástico chamado polipropileno (comercializado como Gortex ou Thinsulate) que deve ser colocado imediatamente após o banho quando a pele está quente na parte da manhã. Em seguida, colocar meias quentes, mesmo meias elétricas com aquecedores a bateria. Além disso, tente manter os pés elevados durante o dia.
Se você ainda não pode ficar quente, você pode conversar com seu médico sobre tomar Niacina ou a droga anti-hipertensão Minipress que abrir as artérias e obter mais sangue quente para os pés. No entanto, estas drogas podem abrir artérias demasiado e fazer com que você perca calor de sua pele descoberta e soltar sua pressão arterial quando você está. Estas são drogas de último recurso para serem usadas com muito cuidado!
.
Além disso, os sobreviventes da polio precisam lembrar aos médicos que os EMGs ou testes de condução nervosa devem ser realizados em uma sala que é pelo menos 75 º F para evitar falsas leituras anormais e que um cobertor aquecido é necessário na sala de recuperação após cirurgia de sobreviventes da pólio (Bruno, 1996)

Traduzido do texto original abaixo: 

Of Frozen Fingers and Polio Feet"



A warming winter tale for everyone who hates the coldddddd!
Polio survivors are extremely sensitive to changes in temperature. At merely cool temperatures, most polio survivors report that their feet have always been cold to the touch, their skin a purplish color. However, as polio survivors have aged, 50% report intolerance to cold and that their limbs have become more sensitive to pain as the temperature decreases. Cold was reported to cause muscle weakness in 62% of polio survivors, muscle pain in 60%, and fatigue in 39%. (Bruno & Frick, 1987).
When polio survivors were cooled in the laboratory from 86° F to 68° F, motor nerves functioned as if they were at 50° F and polio survivors lost 75% of their hand muscle strength. (Bruno, et al., 1985a) But, although polio survivors are twice as sensitive to pain as those without polio, no increase in pain sensitivity was found at lower temperatures. (Bruno, et al., 1985b)
The reason polio survivors have such trouble with cold is that the parts of the central nervous system that should control body temperature were damaged by the poliovirus. In the brain the hypothalamus (the automatic computer that controls the inner bodily environment) was damaged by the poliovirus, including the body's thermostat and the brain area that tells your blood vessels to constrict. (Bodian, 1949) In the spinal cord, the nerves that carry the message from the brain that tells the capillaries in the skin to contract when its cold were also killed by the poliovirus. (Bodian, 1949) Thus, polio survivors are unable to stop warm blood from flowing to the surface of the skin as the outside temperature drops. This allows loss of heat from the blood near the surface of the skin and causes the limbs to cool.
When the limbs cool, arteries carrying blood to the skin and veins that should carry blood out of the skin narrow passively as they get cold, trapping blue venous blood in the capillaries and causing the feet to look blue and to become even colder. The cold skin chills the motor nerves, causing them to conduct more slowly and to be less efficient in making muscles contract. The cold also chills tendons and ligaments (like putting a rubber band in the freezer) making movement of weak muscles more difficult. As polio survivors know, it takes hours under an electric blanket or a long, hot bath to warm cold legs and regain strength.
However, when polio survivors take a hot bath, blood vessels do exactly the opposite of what they do in the cold. Polio feet and legs become bright red as arteries and veins relax and blood rushes to the skin. Then, when polio survivors stand to get out of the tub, they can feel dizzy or even faint as blood pools in their legs and causes their blood pressure to drop (see Bruno, 1996). The pooling of blood in the feet also explains why polio survivors' feet swell, swelling that increases as they get older. And polio survivors' easily losing body heat explains why they have an increase in symptoms, especially cold-induced muscle pain, as the seasons change.
Polio survivors need to dress as if it were 20° F colder than the outside temperature. The trick is to stay warm from the get-go. You need to dress in layers and wear heat retaining socks or undergarments made of a woven, breathable plastic fiber called polypropylene (marketed as Gortex or Thinsulate) that should be put on immediately after showering when the skin is warm in the morning. Then put on warm socks, even electric socks with battery-powered heaters. Also, try to keep your feet elevated during the day.
If you still can't stay warm, you can talk to your doctor about taking Niacin or the anti-hypertension drug Minipress that open your arteries and get more hot blood to your feet. However, these drugs can open arteries too much and cause you to lose heat from your uncovered skin and drop your blood pressure when you stand. These are drugs of last resort to be used very carefully!
Also, polio survivors need to remind doctors that EMGs or nerve conduction tests must be performed in a room that is at least 75o F to prevent false abnormal readings and that a heated blanket is necessary in the recovery room after polio survivors have surgery (Bruno, 1996)

"Compartilhem e mostrem aos seus médicos , perdoem a tradução"

FONTE:
SINDROME PÓS POLIO BRASIL 10/12/2016


Postar um comentário