3 de março de 2017

Os sobreviventes da poliomielite manifestam protesto contra o esquecimento a que foram submetidos.


Autoridades de Saúde do Mundo.
Às Pessoas que tiveram poliomielite no Mundo.

Como sabem desde Outubro de 1985 na sequência da intervenção do Rotary Internacional (RI) cooperando com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e comemorando o 40 º aniversário da fundação das Nações Unidas (ONU) foi instituído o 24 de outubro como o DIA MUNDIAL CONTRA A POLIOMIELITE.
.
E neste ano de 2011 na mesma data, será comemorada pela vigésima sexta vez o DIA MUNDIAL CONTRA A POLIOMIELITE, onde falarão das conquistas obtidas no ano passado, no entanto mesmo que os saldos apresentados tenham sido positivos, as metas propostas não alcançaram os resultados esperados. Sabemos também que a poliomielite ainda é endêmica em alguns países, da mesma forma que temos presenciado casos de poliomielite em países onde a doença já era considerada erradicada. Sabemos também dos grandes esforços feitos pelos governos, pelas instituições de saúde e organizações globais com fins altruístas, quando do fornecimento de quantias em dinheiro para a eliminação dessa doença terrível.
.
No entanto, como já ocorreu anteriormente, terão que mudar a data da erradicação da doença a nível mundial, isto devido aos inúmeros obstáculos encontrados, financeiros, políticos, religiosos, geográficos e culturais, que impedem a realização de um sonho de muitos em todo planeta, A Celebração do Fim da Poliomielite.
.
Realmente não é pouco o que foi feito, mas ainda há muito que se fazer, pois continuam existindo casos de pólio, temos em média, 1.000 casos a cada ano, que são muitos para a medicina evoluída do século XXI, de forma que, todos desejamos que este flagelo desapareça para sempre.
.
Enquanto persistir a circulação do poliovírus selvagem em qualquer lugar do mundo, existe o risco da reinfeção em zonas já consideradas livres do vírus. Pois devido à crença de muitos países de estarem livres do vírus, houve um descuido e diminuíram as taxas de vacinação, gerando assim o perigo de novas epidemias em qualquer parte do planeta.
.
Há pouco a comemorar!
.
Em comemoração ao DIA MUNDIAL CONTRA A POLIOMIELITE neste ano de 2011, infelizmente faltarão mais uma vez, os grandes ausentes de todos os tempos. Aquelas Pessoas que sobreviveram as grandes epidemias da pólio no século passado! Aqueles que transitando pela vida carregaram por 50 anos ou mais o peso e as consequências deixadas pelo ataque do vírus.
.
Negligenciados e esquecidos pelos médicos e pela medicina, no sentido que, a poliomielites é coisa antiga, não é mais estudada nas cadeiras de medicina, sendo que muitas vezes nem aparece nos livros médicos, sendo para muitos profissionais da área da saúde como uma doença do passado, que já não existe mais.
.
Estes Ausentes, esquecidos, que sofreram múltiplas cirurgias corretivas (muitas delas experimentais, incluindo amputações dos membros afetados).
.
Muitos forçados ao isolamento. Estes Ausentes, que usam próteses pesadas, muitas vezes de péssima qualidade, que ferem e rasgam a carne, quando as podem ter, pois muitos não as podem ter. Esquecidos que ficáramos presos em pulmões artificiais por semanas ou até meses. Muitos, grandes usuários de muletas, bengalas e cadeiras de rodas. Muitos que nunca puderam sair de uma cama, pela gravidade das sequelas deixadas pelo vírus, e muitos que perderam suas vidas durante o ataque do vírus.
.
Por esta e outras razões:Há pouco para celebrar!
OS SOBREVIVENTES DA POLIOMIELITE MANIFESTAMOS!.
Nossos ENORMES protestos contra o esquecimento a que fomos submetidos, pois somos aproximadamente 20 milhões de pessoas no mundo. Nós, que sofremos muito, afetados pela poliomielite, não nos encontramos em um quadro de saúde estável indefinidamente, como afirmam, muitos, que desconhecem totalmente a doença.
.
Muitas pessoas não sabem que depois de alguns anos, a saúde da pessoa afetada, sofre uma lenta e gradativa deterioração. Ocasionando um agravamento das nossas sequelas, razão pela qual se agravam as deficiências e afeta à saúde, prejudicando nossa qualidade de vida. Que a OMS- Organização Mundial da Saúde, já tem qualificada e em plena vigor esta nova situação, ao qual nomeou como SÍNDROME PÓS-POLIOMIELITE, isto, desde Janeiro de 2010, conforme atesta o CIE-10 com o Código Internacional de Doença G 14. E com isto, forçou a sua conformidade em todos os países membros.
.
Que apesar de tudo, ainda, na maioria dos Países da América Latina, bem como alguns Países da União Europeia, ocorre à recusa em aceitar esta condição patológica, fazendo com que pacientes que sofrem com esta doença, realizem longas e sofridas viagens e peregrinações por hospitais e clínicas, sem respostas para suas dores e reclamações, sendo que, muitas vezes recebem um diagnóstico de que não tem enfermidade alguma, e que toda a sua dor e sofrimento é fruto da sua imaginação, negando-lhes o cuidado que necessitam, e até mesmo mandando que retornem ao trabalho, mesmo doentes, arriscando sua saúde e integridade física.
.
Sabemos que se houver conhecimento adequado e vontade, é possível fazer muito por todos que sofrem com esta doença, é possível fazer muitas coisas para tentar evitar a degeneração progressiva, assim evitando o aumento das deficiências e a diminuição da qualidade de vida.
.
Acreditem ou não, NÓS AINDA ESTAMOS AQUI!

OS SOBREVIVENTES DA PÓLIO E OS QUE PADECEMOS DA SÍNDROME PÓS-POLIOMIELITE

DEMANDAMOS:

A erradicação da poliomielite.


A aplicação imediata e irrestrita do código G-14 em todos os países membros da OMS, em conformidade com a DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS.
.
A imediata implementação de programas de capacitação e formação para todos os médicos, paramédicos e profissionais Da Área da saúde, que ainda desconheçam como diagnosticar e tratar a doença em países onde a mesma ainda não é reconhecida.
.
A implementação, o mais rápido possível, de clínicas multidisciplinares para tratamento dos múltiplos problemas de saúde, enfrentados por estes pacientes.
.
Uma análise e diagnóstico responsável, ético e verdadeiro do estado atual de incapacidade de cada paciente, bem como o prognóstico futuro, para efeitos laborais, dos pacientes que apresentam esta condição.
.
O Pleno respeito às Leis Municipais, Estaduais, Federais e Internacionais de proteção às pessoas com deficiência.
.
OS SOBREVIVENTES DA PÓLIO PROPOMOS:
Nosso total e irrestrito apoio e participação ativa em todas as ações dirigidas pelas autoridades, que pretendam a rápida erradicação da poliomielite do planeta.
.
Nossa plena e total cooperação em programas que estão implementados ou que venham a ser implementados para melhor diagnóstico e tratamento da nossa doença.
.
Nossa colaboração e participação de todos os estudos sérios que nos levam a um melhor tratamento médico e terapias específicas com o objetivo de melhorar ou estabilizar a nossa qualidade de vida.
.
Agradecemos sua atenção e esperamos o seu apoio.
.
NUNCA MAIS UMA CRUZADA SEM OS CAVALEIROS.

Os sobreviventes da Pólio




Cronologia da pólio e Síndrome Pós Poliomielite.

1789 – Médico britânico Michael Underwood fornece a primeira descrição clínica da poliomielite, referindo-se a ele como “debilidade das extremidades inferiores”.
1840 – Médico alemão de Jacob von Heine publica uma monografia de 78 páginas em 1840 que não só descreve as características clínicas da doença, mas observa também que seus sintomas sugerem o envolvimento da espinhal medula.
1875 – A síndrome Pós-Poliomielite, entretanto, não foi uma nova descoberta, os sintomas foram descritos pela primeira vez na literatura médica francesa em 1875, e na literatura médica mundial cerca de trinta e cinco artigos foram publicados até 1975. REGISTRO DE 03 CASOS – Literatura Francesa:

>Jovens com história de pólio na primeira infância;
>Anos mais tarde desenvolveram novas e significativas fraqueza e atrofias; >Ocorreram não apenas nos músculos anteriormente afetados; >Todos desempenhavam trabalhos que exigiam esforço físico e demandavam força e atividades repetitivas. Descrição do Primeiro caso: Dr. JEAN MARTIN CHARCOT.

1894 – A primeira epidemia de pólio principais relatados nos Estados Unidos ocorre em Vermont, consistindo de 132 casos totais, incluindo alguns adultos.
1908 – Pólio torna-se a uma entidade de doença relatável como médicos austríacos Karl Landsteiner e e. Popper identificam o vírus da pólio.
1909 – Massachusetts começa contando casos de pólio.
1916 – Há um grande surto de poliomielite nos Estados Unidos. Embora o número total de indivíduos afetados é desconhecido, mais de 9000 casos são relatados em Nova York sozinho. Tentativas de controlar a doença em grande medida envolvem o uso de isolamento e quarentena, nenhum dos quais é bem-sucedida.
1921 – Franklin Delano Roosevelt (FDR) contratos de poliomielite e fica com paralisia severa.
1924 – FDR viaja à Warm Springs, Georgia e verifica em um chalé da Pousada Meriwether em ruínas por causa dos relatórios que as águas lá poderiam de alguma forma “curar” paralisia.
1926 – FDR compras a Pousada Meriwether, e a Fundação Warm Springs é formado.
1928 – Philip bebedor e Louis Shaw desenvolver o pulmão de ferro, um tanque metálico equipado com uma bomba que auxilia a respiração, é campo testado e entra em produção comercial três anos mais tarde.
1932 – Que FDR é eleito Presidente dos Estados Unidos. O primeiro e somente o u. s. Presidente para usar uma cadeira de rodas, ele oculta com êxito a extensão da sua deficiência do público americano em toda a sua Presidência.
1934 – Há um grande surto de poliomielite em Los Angeles. Quase 2500 casos de pólio são tratados de Maio a novembro do mesmo ano no Los Angeles County General Hospital sozinho. A primeira das Bolas de aniversário, realiza-se no aniversário de Roosevelt (30 de Janeiro) para arrecadar dinheiro para a Geórgia Warm Springs Foundation.
1935 – Médicos Maurice Brodie e John Kollmer competem uns contra os outros, com cada tentativa de ser o primeiro a desenvolver uma vacina contra a poliomielite bem-sucedida. Ensaios de campo falhar com resultados desastrosos como as vacinas são responsabilizadas causando muitos casos de poliomielite, alguns dos quais são fatais.
1937 – FDR anuncia a criação da Fundação Nacional para infantile paralisia.
1938 – Entertainer Eddie Canter moedas o nome “Março de Dimes” como ele exorta ouvintes de rádio para enviar sua mudança de reposição para a casa branca para ser usado pela National Foundation for infantile paralisia na luta contra a pólio. O nome de varas.
1940 – Irmã Elizabeth Kenny viaja de seu Austrália nativa para a Califórnia, onde ela é praticamente ignorada pela comunidade médica. Em seguida, ela viaja para Minnesota onde ela dá a primeira apresentação nos Estados Unidos para os funcionários da Clínica Mayo sobre seus procedimentos para tratar pacientes de pólio por meio de embalagem quente e esticar as pernas afetadas.
1942 – O primeiro Instituto de Kenny irmã abre em Minneapolis.
1943 – Fundação de Kenny irmã é formado e procedimentos de Kenny tornam-se o tratamento padrão para pacientes da pólio nos Estados Unidos, substituindo as abordagens tradicionais ineficazes de “soro convalescente” e de imobilização.
1941 – Os Estados Unidos entra a segunda guerra mundial. A maior parte dos melhores pesquisadores médicos, incluindo Jonas Salk, digite os militares ou trabalha em projectos relacionados com militares.
1945 Termina a II Guerra. Grandes epidemias da pólio nos Estados Unidos ocorrerem imediatamente após a guerra com uma média de mais de 20 mil casos por ano de 1945 a 1949.
1947 – Jonas Salk aceita uma posição em Pittsburgh, o novo laboratório médico financiado pela Fundação Mellon científico de Sarah.
1948 – Laboratório de Salk é uma das quatro bolsas de investigação premiados do vírus da pólio digitando o projeto. Salk decide u se o método de cultura de tecidos recém-desenvolvido de cultivar e trabalhar com o vírus da poliomielite que recentemente foi desenvolvido por John Enders na Universidade de Harvard. Outros pesquisadores, incluindo Albert Sabin, que mais tarde iria desenvolver a vacina oral antipólio, continuam a fazer o seu trabalho com macacos infectados com o vírus da pólio, um processo mais difícil e demorado.
1952 – Há 58, 000 casos de pólio nos Estados Unidos, nunca mais. As versões anteriores da vacina de Salk, utilizando o vírus da pólio mortos, são bem sucedidas com pequenas amostras de pacientes na Home Watson Crippled Children e a escola estadual Polk, uma facilidade de Pensilvânia para indivíduos com retardo mental.
1953 – Em meio continuou “pólio histeria,” lá são 35 000 casos de pólio nos Estados Unidos.
1954 – Ensaios de campo maciços da vacina Salk são patrocinados pela Fundação Nacional para infantile paralisia. Notícias das experiências bem-sucedidas vacina é anunciada pelo Dr. Thomas Francis Jr. da Universidade de Michigan em uma conferência de imprensa formal realizada 12 de Abril em Ann Arbor (o site onde tinham sido recolhidos e analisados os dados da pesquisa de ensaios de campo). Um programa de vacinação nacional rapidamente é iniciado.
1957 – Após uma campanha de imunização massa promovida por Março de Dines, existem apenas cerca de 5600 casos de pólio nos Estados Unidos.
1958 e 1959 – Ensaios de campo provar a vacina oral Sabin, que usa ao vivo, atenuada vírus (fraco), para ser eficaz. A vacina de Salk é substituída pela vacina sabin oral, que não só é superior em termos de facilidade de administração, mas também oferece imunização de longa duração.
1964 – Apenas 121 casos de pólio são relatados nacionalmente.
1974 – Dr. Donald Mulder da Clínica Mayo escreve um artigo que descreve a “progressão tardia da poliomielite”.
1975 – ASPECTOS HISTÓRICOS – Interesse da comunidade científica; Atualização dos Critérios Diagnósticos; Definição e Consenso: As manifestações clínicas e não Psicológicas. As novas manifestações não ocorriam em todos descrição das características clinicas; Critério Diagnóstico Diferencial.
1977 – Pesquisa nacional de entrevista de saúde informa que existem 254,000 pessoas vivendo nos Estados Unidos, que tinham sido paralisadas pela poliomielite. Algumas estimativas colocar o número em mais de 600 000.
1979 – Última transmissão indígenas do vírus selvagem da pólio ocorre nos EUA. Todos os futuros casos são importados ou relacionadas com a vacina.
1980 – O professor Albert Sabin, descobridor da vacina contra a poliomielite, acusou o governo do ex-presidente Garrastazu Médici de ter manipulado dados referentes às condições de saúde no Brasil, no período entre 1969 e 1973, principalmente os relacionados a surtos epidemiológicos. O cientista, que nos últimos 20 anos esteve diversas vezes no País para observar a situação da poliomielite e outras doenças epidemiológicas, disse que “os relatórios encaminhados à Organização Mundial de Saúde apresentavam estatísticas duvidosas, o que somente agora eu posso confirmar”. Publicado na Folha de São Paulo.
1981 – Tempo de Magazine relata que muitos sobreviventes da pólio estão experimentando efeitos tardias da doença.
1984 – Pesquisadores de, incluindo Dr. Lauro Halstead, organizar uma conferência no Warm Springs Instituto de reabilitação devido à crescente preocupação com os efeitos finais da pólio (post-polio syndrome).
1988 – Com aproximadamente 350, 000 casos de poliomielite que ocorrem em todo o mundo, a Organização Mundial de saúde passa uma resolução para erradicar a pólio até ao ano 2000.
1989 – Os casos de poliomielite paralítica no Brasil começaram a ser documentados a partir de 1911 e o último caso confirmado de poliomielite paralítica foi notificado em 1989, compreendendo um período de 78 anos de transmissão autóctone do poliovírus selvagem. A notificação compulsória foi estabelecida, desde 1917, no estado de São Paulo e, em 1968, para todo o país, entretanto, até 1974, a maioria dos estados apenas notificava, mas não realizava vigilância ativa e sistemática, nem investigação dos casos notificados.
1993 – O número total de pólio relatado casos em todo o mundo cai para cerca de 100 000. A maioria destes casos ocorre na Ásia e África.
1994 – Primeira Manifestação de preocupação com Síndrome Pós Poliomielite – REESCREVENDO A HISTÓRIA DA REABILITAÇÃO. “A paralisia resultante da infecção que acometia o corno anterior da medula, gerando os quadros flácidos, assimétricos, arreflexos e atróficos definiu os paradigmas daquela época, para a Reabilitação. Quarenta anos depois, nos deparamos com a angústia e o reconhecimento de novos fatos que desmentem a Poliomielite Anterior Aguda como infecção capaz de produzir um quadro crônico, definitivo, com seqüelas irreversíveis e mensuráveis”. BATTISTELLA, LR. Documento enviado a ACADEMIA BRASILEIRA DE MEDICINA DE REABILITAÇÃO.
1994 – China lança seu primeiro dias nacionais de imunização, immunizing 80 milhões de crianças! Todo Hemisfério Ocidental é certificado como “pólio livre”.
1995 – Índia segue a ligação da China e organiza seus primeiros dias nacionais de imunização. Mais de 87 milhões de crianças são vacinadas!
1997 – Franklin Delano Roosevelt Memorial abre em 2 de Maio.
1999 – Mais de 450 milhões de crianças são vacinadas, incluindo cerca de 147 milhões na Índia. Nos 11 anos desde a iniciativa de Assembléia Mundial da saúde, o número de casos em todo o mundo caiu para cerca de 7 000.
2000 – Guerras, catástrofes naturais e a pobreza em cerca de 30 nações africanas e asiáticas impedem a total erradicação da pólio. Há mesmo um surto de poliomielite no Haiti e República Dominicana, que, juntamente com o resto do Hemisfério Ocidental, tinha sido pólio livre desde o início dos anos 90. Uma nova data para erradicação mundial de 2005 agora é definida pela ,
575 milhões de crianças são vacinadas em 94 países.
2003 – Criado o primeiro Ambulatório Especializado em Síndrome Pós Poliomielite na América Latina junto ao Setor de Doenças Neuromusculares da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) – Escola Paulista de Medicina (EPM).
2004 – Ministros da saúde dos seis países endêmicos da pólio renaining cumprir e concordam em tomar as etapas finais para a erradicação da pólio. Casos de pólio na Ásia diminuir em 50%, e mais de 80 – milhões de crianças são vacciniated na África Ocidental e central. Apesar desses esforços, há casos de 1170 da pólio em 2004, 760 que ocorrem em Niigeria.
2005 – Pólio se espalha da Nigéria para o Sudão, com 105 casos confirmados. Este mais recente surto ilustra “o elevado risco colocados a pólio áreas pela epidemia continua na África central e Ocidental”.
2010 Inclusão do agravo Síndrome Pós-Poliomielite na Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas relacionados à Saúde (CID 10) no CAPÍTULO VI – DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO, Atrofias Sistêmicas que Afetam Principalmente o Sistema Nervoso Central. Sugestão para CID 10 – G14. Por iniciativa do Setor de Doenças Neuromusculares da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) – Escola Paulista de Medicina (EPM) a Síndrome Pós-Poliomielite foi integra ao catálogo internacional de doenças (CID). A entidade enviou, pelo representante brasileiro no comitê que regulamenta o CID, a proposta de inclusão. A decisão deve beneficiar cerca de 60% dos pacientes acometidos pela pólio que apresentam nova perda de funções musculares, diz Prof. Dr. Acary Souza Bulle Oliveira, chefe do setor de Investigação em Doenças Neuromusculares da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Fuente

Postar um comentário