4 de dezembro de 2010

Força Mental

João Fidélis de Campos Filho*
Um bom amigo me disse que 2010 superou todas as suas expectativas. Grande parte do que projetou e ansiou para este ano aconteceu, por isso tem muito que comemorar e agradecer por tudo que conseguiu. Ele crê que a elaboração mental é uma das mais importantes partes na concretização de nossos sonhos, porque a partir desta idealização a mente começa articular os meios de alcançá-los mesmo inconscientemente. É, a mente trabalha a nível inconsciente (ou a nível de espírito) para atingir seus anseios.

Isto funciona também quando evitamos situações, lugares e notícias que nos trazem desprazer, amargura ou tristeza, pois agindo desta maneira contribuímos para o nosso próprio equilíbrio. Depois de algum tempo, assisti dias atrás integralmente, um jornal televisivo de grande audiência, mas a sensação posterior não foi das melhores. São muitas informações desagradáveis jogadas em sua mente continuamente, sem muito tempo para digerir completamente e de forma bombástica. Tragédias de diferentes formas, vidas perdidas de maneira irracional, atentados a inocentes e crimes indiscriminados à civilidade e à boa cidadania, ocupam a quase totalidade destes sisudos noticiários.

Longe de mim a alienação aos fatos mundanos, a perda do senso crítico, mas se deixarmos nossa mente ser dominada por todas as coisas ruins que os meios de comunicação divulgam diuturnamente abre-se uma perigosa brecha para um processo depressivo. É mister ter consciência de nossa que a ordem programada dos acontecimentos mundanos estão, neste mundo de mais de 6 bilhões de pessoas, bem distante de nosso foco de ação. Trocando em miúdos: quem somos nós diante da ordem natural das coisas?

Ai você pode dizer: se alguém que temos forte laço afetivo sofre ou parte deste mundo, se uma escola desaba e mata criancinhas, se alguém que amamos fica doente ou perdemos algo material ou imaterial a que prezamos muito, isto é ordem natural das coisas? A resposta é positiva quando pensamos num principio ordenador do cosmos, quando pensamos que tudo tem uma finalidade racional e que o acaso é apenas uma teoria obsoleta. Voltamos aqui à antiga idéia filosófica da “necessidade” dos fatos do mundo, pois se existe um Deus tudo que ocorre é necessário. Voltamos também à idéia do livre arbítrio parcial do homem, porque ele exerce sua vontade de escolha, mas o resultado depende da vontade divina.

No entanto a mesma Lei da Ação e Reação, que na física clássica foi proposta por Newton (Terceira lei de Newton) e que diz que a toda ação corresponde uma reação de mesma intensidade, é na metafísica o resultado das escolhas individuais que acabam interferindo nos acontecimentos coletivos. Isto quer dizer, de maneira mais simples, que nosso futuro será resultado de nossa conduta atual e que se todos agirem com bondade e paz de espírito o planeta Terra certamente será o paraíso celeste. A Lei de Ação e Reação (ou Causa e Efeito) é taxativa ao determinar que todos os fatos resultam dos atos humanos e como diz a Bíblia se plantamos tempestade colhemos tempestade se plantamos coisas boas colhemos na mesma proporção. Mas sempre é assim? Não, porque às vezes vemos pessoas a quem amamos e são boas passando por muito sofrimento. E neste ponto entra a idéia do carma, que fecha o círculo ao propor que as pessoas simplesmente resgatam dívidas de vidas passadas.

Quando o homem se prende excessivamente às necessidades físicas e afetivas para sua auto-realização suas decepções podem ser maiores porque tudo é transição e ilusão neste mundo terreno. Se leva uma vida mais simples e contemplativa, sem esperar muita reciprocidade ou contrapartida de seus atos as doenças que nascem na sua mente e invadem seu corpo tenderão a ser menores. Retornamos assim ao principio do que escrevi no início desta matéria, meu amigo José tem razão ao defender que a maior parte dos seres humanos desconhece a enorme força mental que possui e se a usasse em seu favor poderia angariar incontáveis benefícios. Centenas de livros best-sellers trataram deste tema realçando o poder da mente e o quanto melhora a vida do individuo quando consegue usá-la a seu favor. Muitas pessoas porem não tem consciência desta força.

*João Fidélis de Campos Filho - Cirurgião - Dentista
Postar um comentário