6 de junho de 2011

Equilíbrio de Forças-João Fidélis de Campos Filho

O chamado choque cultural provocado pela integração das comunicações é apontado como o fenômeno mais importante da atualidade. Vários analistas tem-se debruçado sobre o grau de interferência nas sociedades, e em especial aquelas dominadas por ditaduras ou por regimes religiosos, por todas estas ferramentas proporcionadas pela tecnologia, como a internet, o celular e as comunicações por satélite. Há tantas coisas que a humanidade desconhecia até a bem pouco tempo e que agora fazem parte da chamada “modernidade” que as ciências sociais ainda procuram redefinir seus efeitos no mundo.

Vive-se mais e com mais prazer atualmente devido a esta incessante vontade humana de tornar mais útil tudo em sua volta. Contudo apesar do dinamismo da troca de conhecimentos e das descobertas cientificas de nossa era, há um consenso que a humanidade está em sua infância e são desconhecidas as fronteiras do saber. Velhos mistérios ainda rondam as mentes humanas e há mais teorias do que propriamente fatos concretos fazendo parte do cotidiano do mundo hoje.

A teoria do Big Bang, que deu origem à multiplicidade de astros (as galáxias, os sistemas planetários, os cometas, etc.) do universo recebeu nos últimos anos mais reforços científicos, mas não há evidências conclusivas sobre ela.

Também há um grande mistério sobre o aparecimento da vida em nosso planeta com também da questão da existência de outras formas de vida em outros pontos do universo. Não faz muito tempo o professor de Oxford Peter Atkins depois de muito estudo disse: “Para mim, a existência deste universo extraordinário tem um esplendor maravilhoso e impressionante. Ele está ali com toda a sua glória, inteira e completamente sem utilidade”. Atkins sustenta que diante da falta de evidências o homem continua sozinho no universo.

Outra questão intrigante que aguça a curiosidade de pensadores atualmente é sobre o design inteligente, a teoria que diz que a natureza tem uma ordem e uma perfeição advinda de um Criador.

Na verdade a pergunta que se faz é a seguinte: tudo que existe é obras do acaso ou advém de um projeto intencional? Para alguns pensadores de nossa época a existência de um cosmo completamente sem objetivo é puramente uma idéia irracional. O cosmo é regido por leis fundamentais que o regulam.

Nosso planeta, por exemplo, se mantém dentro de um sistema complexo de forças cuja perfeição assombra qualquer pesquisador. E qualquer alteração neste sistema poderia ser letal tanto para a vida na Terra como para todo ecossistema.
O cosmologista Paul Davies diz: “Se os prótons fossem ligeiramente mais pesados do que os nêutrons, em vez de ligeiramente mais leves, como de fato são, todos os prótons seriam transformados em nêutrons. E sem os prótons e sua fundamental carga elétrica os átomos não existiriam”. Como todos sabem o átomo é a base fundamental de tudo que existe.

A força da gravidade, a força eletromagnética, a fotossíntese, a transmissão genética são fatores imprescindíveis para que o planeta mantenha o equilíbrio. Sem a gravidade ou mesmo sem a existência da lua as condições de vida em nosso planeta seriam nulas.

Como se vê o design inteligente se tornou um forte argumento para a existência de um “Ordenador” do universo. No entanto sustenta-se que o homem em sua tenra idade em nosso planeta está muito longe de compreender a essência divina.

João Fidélis de Campos Filho- Cirurgião Dentista
http://jofideli.blogspot.com




Postar um comentário