19 de novembro de 2013

Arte1 e as Empresas Virtuais

Muito do que é produzido pela televisão brasileira, inclusive a TV paga, é banalidade e deseduca, aliena, não contribui para o aprendizado e a educação de nosso povo. Salvo raras exceções as emissoras se preocupam mais em mostrar o puro entretenimento sem se importar em transmitir conhecimento e despertar nas pessoas a busca do aprendizado e o gosto pela arte. Dentre estas exceções é louvável a iniciativa da Rede Bandeirantes ao lançar o Arte1, um canal que apresenta concertos, espetáculos de dança, literatura, documentários, etc., 24 horas por dia.

O canal Arte1 é uma luz acesa nesta escuridão informativa e sensacionalista que vem invadindo a mídia televisiva do nosso país. Mostra que a fórmula entretenimento e saber podem caminhar juntos. A internet continua sendo um veículo livre e democrático de troca de informações, no entanto ainda precisa ser devidamente regulamentada. Ela tem sido usada com frequência para difundir inverdades sobre empresas, produtos comercializados e para denegrir a imagem de pessoas que se vêm às vezes sem o direito de defesa. A palavra usada em sentido obtuso e difamatório, conduzida por gente sem autocrítica e que acredita na universalidade de sua opinião, presta um desserviço a esta tecnologia que se tornou imprescindível no mundo em que vivemos.

Hoje as redes sociais e a troca contínua de experiências se conjugaram num ambiente onde a seletividade passou a ser necessária, pois há muita coisa a ser descartada. É prazeroso compartilhar alegrias, conhecimento e cultura, as redes cumprem bem este papel, contudo há limites a serem observados, pois muitos confundem isto com exibicionismo, esnobismo ou pura vaidade.

Se quisermos ver um país com um nível educacional as alturas dos mais desenvolvidos deveram apoiar nossa imprensa e a mídia de boa qualidade. Estes empresários que se rendem plenamente aos ditames do lucro a qualquer custo e repetem a dialética viciante do trivial, das fofocas dos famosos, das operações militares nas favelas minuto a minuto, da teledramaturgia dos maus costumes, dos missionários que usam da fé popular para o enriquecimento, etc.

Os fatos divulgados por Edward Snowden em relação à espionagem virtual serviram de alerta para os perigos das grandes empresas tecnológicas (Google, Facebook) que são manipulados pelos Estados Unidos.
Por isso a China criou seus próprios servidores, afastando-se da influência do serviço de inteligência norte-americano. O Brasil precisa criar sua própria criptografia para evitar que documentos de interesse nacional sejam bisbilhotados por outras nações.Depois deste escândalo, em que até os emails pessoais de Dilma Roussef foram lidos pelos EUA. 
O Brasil precisa correr contra o tempo para se proteger.

João Fidélis de Campos Filho-Cirurgião-Dentista


Postar um comentário